Contadores de Histórias

“Quero viver dessa maneira. Quero viver de tal modo que as histórias que enriquecem minha vida venham das pessoas e das terras a meu redor, e de tal modo que meus amigos sejam pessoas com quem eu possa partilhar histórias. Dessa forma, criaremos juntos uma comunidade. E assim, quando chegar a hora de morrer, olharemos para o mundo a nosso redor, e a cada lugar para onde dirigirmos nosso olhar só veremos histórias.” Sam Keen

Thursday, May 18, 2006

O feijão e o sonho - Vila esperança


Houve um domingo em que contei uma história na Vila Esperança. Bom, não sei o que houve, mas eu não estava em sintonia com o público, nem com a história, nem com o propósito, que era o de oferecer àquelas famílias, que ali vinham buscar seu almoço de domingo, também algum alimento para a alma.
Constrangido e envergonhado, saí da sala. Nem mesmo fiquei para ouvir os outros contadores.
Fui conversar com o pessoal da ONG que prepara e distribui as refeições para a comunidade (cerca de cem famílias cadastradas recebem uma refeição quente todos os domingos). No bate-papo, fiquei sabendo que os domingos seguintes estavam comprometidos, pois a ONG estava praticamente sem nenhum estoque de comida e também sem nenhuma ajuda formalizada.
Desse bate-papo nasceu uma campanha, chamada de "O feijão e o sonho", lançada na Casa do Contador e que mobilizou muitas pessoas. Em pouco tempo, graças a amigos e aos amigos desses amigos, a campanha pôde mudar de nome e acabou se chamando “Feijão maravilha”:

- No somatório dessa parte da corrente , arrecadamos 131 kg de feijão, 265 kg de arroz, 78 kg de produtos diversos, R$ 550,00 em dinheiro e mais uma tonelada de amor.

- Tivemos o apoio da ONG VIVAMIGOS (http://www.vivamigos.org.br/), que mobilizou seus voluntários e num piscar de olhos triplicou as doações em espécie.

- Recebemos e-mails emocionados, mostrando que as doações vibraram fortemente as energias do bem.

- E várias pessoas telefonaram, interessadas em conhecer o projeto.

Foi por causa de uma história mal-contada que nasceu a campanha. Ou seria demais dizer que a história não me a queria contando naquele dia, porque tinha outros propósitos? As histórias são assim: imprevisíveis à sua maneira e muito sábias. O contador é um instrumento.

Rodas de Histórias na Vila Esperança
Duas vezes por mês, aos domingos, das 11 ao meio-dia, enquanto as famílias da comunidade Vila Esperança, em Curitiba, aguardam o almoço oferecido pela ONG Legião da Fraternidade, a Casa do Contador de Histórias realiza rodas de contação no local.


Jan

3 Comments:

Blogger marcia cardeal said...

Desculpem, mas eu confesso que me arrepiou isso aqui. Posso linkar no meu blog?...Depois quero falar mais sobre! abçs

5:49 PM  
Blogger Além do tempo... said...

Que o feijão se some a este sonho e esta esperança! Adoro estórias e histórias ! Gosto muito de me deixar levar pelas fadas, duendes e tudo o mais.... Mas esta história me levou a uma realidade e um sonho ao mesmo tempo que me deixou extasiada! Estou nova neste mundo de blog , mas feliz por ter encontrado esta " Vila Esperança" Espero poder falar mais sobre tudo isto depois ... Abraços Tânia

7:19 AM  
Blogger Marcus Carvalho said...

Navegando pela Internet dei com este blog e fiquei muito feliz em saber da iniciativa do "Feijão Maravilha" e do contar histórias que ocorre em conjunto a ação. Pena eu não ser daí, pois adoraria participar. Vida longa à toda ação que aproxime a Arte (o lúdico) da Realidade (o prático).

Ass.
Marcus Carvalho
http://ocadernodemarcuscarvalho.blogspot.com/

12:44 PM  

Post a Comment

<< Home